ENTRE COR E CLASSE: DEFINIÇÕES DE BRANQUITUDE ENTRE HOMENS BRANCOS NO RIO DE JANEIRO

Main Article Content

Valeria Ribeiro Corossacz

Resumo

Neste artigo discuto como a branquitude é percebida e descrita por homens brancos de classe média alta do Rio de Janeiro. Na primeira parte apresento o debate dos critical whiteness studies e as características do estudo da branquitude no Brasil, com atenção ao sistema de classificação de cor e à relação entre cor e classe. Em seguida, discuto os desafios metodológicos de uma pesquisa sobre branquitude no contexto brasileiro, retomando algumas análises sociológicas francesas sobre a burguesia e aristocracia. Na parte final, analiso as dificuldades dos entrevistados em dar definições da branquitude, os significados dos seus silêncios e risadas. A classe se apresenta como a linguagem privilegiada para dar um conteúdo à branquitude, porque considerada mais tangível e objetiva, enquanto a branquitude é sentida como evanescente e inominável.   

Article Details

Como Citar
COROSSACZ, Valeria Ribeiro. ENTRE COR E CLASSE: DEFINIÇÕES DE BRANQUITUDE ENTRE HOMENS BRANCOS NO RIO DE JANEIRO. Revista da Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as (ABPN), [S.l.], v. 6, n. 13, p. 201-222, jun. 2014. ISSN 2177-2770. Disponível em: <http://www.abpnrevista.org.br/revista/index.php/revistaabpn1/article/view/159>. Acesso em: 23 mar. 2019.
Seção
Dossiê Temático