PRODUÇÃO DE SAÚDE EM UMA COMUNIDADE TRADICIONAL DE TERREIRO DE MATRIZ AFRICANA: O SUJEITO BIO-MÍTICO-SOCIAL

the bio-mythical-social individual

  • Miriam Cristiane Alves UFPel
  • Nedio Seminotti
  • Jayro Pereira de Jesus

Resumo

Este artigo tem por objetivo compreender os processos de produção de saúde em uma comunidade tradicional de terreiro de matriz africana, problematizando a dialógica entre o paradigma civilizatório ocidental e o negro-africano. Trata-se de um estudo qualitativo que buscou o diálogo entre o que convencionamos chamar de “método recursivo” e a etnografia. Foram participantes vinte vivenciadores de uma comunidade tradicional de terreiro de Batuque, de tradição Jeje-Nàgô, da cidade de Porto Alegre, RS. Utilizou-se a observação participante, o diário de campo, as entrevistas abertas e um grupo de discussão para produção de informações. A complexidade da dinâmica civilizatória do terreiro não pode ser compreendida por categorias de análise do paradigma civilizatório ocidental. Faz-se necessário romper com a hegemonia do pensamento eurocêntrico na expectativa de, progressivamente, inscrever e visibilizar na cena acadêmica outros modos de compreender o mundo, outras racionalidades no estudo em ciências humanas, sociais e da saúde.

Publicado
Nov 3, 2017
Como Citar
ALVES, Miriam Cristiane; SEMINOTTI, Nedio; JESUS, Jayro Pereira de. PRODUÇÃO DE SAÚDE EM UMA COMUNIDADE TRADICIONAL DE TERREIRO DE MATRIZ AFRICANA: O SUJEITO BIO-MÍTICO-SOCIAL. Revista da Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as (ABPN), [S.l.], v. 9, n. 23, p. 194-222, nov. 2017. ISSN 2177-2770. Disponível em: <http://www.abpnrevista.org.br/revista/index.php/revistaabpn1/article/view/264>. Acesso em: 13 dez. 2017.