O MOVIMENTO NEGRO, A CONSTITUIÇÃO DE 1988 E A QUESTÃO DA TERRITORIALIDADE NA PRESERVAÇÃO DE UMA CULTURA: A COMUNIDADE REMANESCENTE DO QUILOMBO DA CAÇANDOCA

Main Article Content

Egléia Adalgizo Minas Leonice Domingos dos Santos Cintra Lima

Resumo

O presente artigo apresenta o resultado de estudos realizados sobre o movimento negro no Brasil, especificamente em relação aos conflitos ligados à posse de terra, originados no passado escravista, na região do Litoral Norte do estado de São Paulo. Revela a trajetória de lutas empreendidas pela comunidade remanescente do Quilombo da Caçandoca – população que originou-se a partir da existência de uma fazenda de café que utilizava o trabalho escravo no século XIX, localizada no município de Ubatuba/SP. O texto apresenta breve resgate do período sociopolítico que antecedeu a promulgação da Carta Magna na década de 80 e aponta para a organização da luta dos negros e a necessidade de assunção da identidade quilombola para a conquista do direito adquirido. Assim, o artigo reconstrói a memória coletiva da luta da comunidade quilombola contra a pressão sofrida pelo capital de especuladores imobiliários, interessados no território ocupado secularmente pela comunidade local.

Article Details

Como Citar
MINAS, Egléia Adalgizo; LIMA, Leonice Domingos dos Santos Cintra. O MOVIMENTO NEGRO, A CONSTITUIÇÃO DE 1988 E A QUESTÃO DA TERRITORIALIDADE NA PRESERVAÇÃO DE UMA CULTURA: A COMUNIDADE REMANESCENTE DO QUILOMBO DA CAÇANDOCA. Revista da Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as (ABPN), [S.l.], v. 8, n. 20, p. 06-22, out. 2016. ISSN 2177-2770. Disponível em: <http://www.abpnrevista.org.br/revista/index.php/revistaabpn1/article/view/5>. Acesso em: 19 fev. 2020.
Seção
Artigos