COMUNIDADES TRADICIONAIS NAS ESCALAS DA POLÍTICA DAS ÁGUAS NA BACIA DO RIO SÃO FRANCISCO

  • Ângela Patrícia Deiró Damasceno
  • Luciana Espinheira da Costa Khoury
  • Diosmar Marcelino de Santana Filho
  • Julio Cesar de Sá da Rocha

Resumo

Esse artigo discute a participação social das Comunidades Tradicionais no âmbito do processo de elaboração e implementação das políticas públicas relacionadas à gestão das águas. Para tanto, foi analisada a bacia hidrográfica do São Francisco, com recorte ao trecho referente ao estado da Bahia, destacando que desde a primeira formação do Comitê de bacia hidrográfica do São Francisco, houve participação de representantes dos povos e comunidades tradicionais entre os seus membros. O texto está organizado em tópicos que abordam aspectos das escalas federal e estadual de gestão das águas, a participação das Comunidades tradicionais em comitês de bacia, os conflitos socioambientais e o poder articulador dos movimentos sociais na visibilidade das Comunidades Tradicionais. Os dados contidos no texto são fruto de análises de dados secundários de variadas e importantes fontes de pesquisa e ao final, as considerações finais reafirmam a importância das Comunidades Tradicionais na defesa das águas, dos territórios e dos demais povos.

Publicado
Nov 3, 2017
Como Citar
DAMASCENO, Ângela Patrícia Deiró et al. COMUNIDADES TRADICIONAIS NAS ESCALAS DA POLÍTICA DAS ÁGUAS NA BACIA DO RIO SÃO FRANCISCO. Revista da Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as (ABPN), [S.l.], v. 9, n. 23, p. 31-56, nov. 2017. ISSN 2177-2770. Disponível em: <http://www.abpnrevista.org.br/revista/index.php/revistaabpn1/article/view/506>. Acesso em: 13 dez. 2017.