IDEOLOGIAS LINGUÍSTICAS E A INSTITUIÇÃO DE HIERARQUIAS RACIAIS

  • Joana Plaza Pinto

Resumo

Este artigo tem por objetivo refletir sobre a relação entre as ideologias linguísticas e a instituição de hierarquias raciais na Modernidade, focando especificamente em suas formas linguísticas comumente usadas no Brasil.Para isso, pressuponho que certas formas de falar sobre a linguagem em geral e a língua portuguesa no Brasil em particular modelam os sujeitos racializados que somos na atual configuração do sistema mundo moderno/colonial. As ideologias linguísticas modernas e suas conexões com a constituição e manutenção das hierarquias raciais são discutidas em três formas principais, todas rarefeitas por mecanismos de racionalização. As formas discutidas são 1) a ideologia da homogeneidade variável, uma regulamentação da fala, cuja conexão com hierarquias raciais é rarefeita pelas categorias “classe” e “região”; 2) a ideologia da clareza, uma regulamentação de gêneros discursivos, cuja conexão com hierarquias raciais é rarefeita pelas categorias “razão” e “argumentação”; e 3) a ideologia da competência, uma regulamentação da legitimidade dos saberes e corpos, cuja conexão com hierarquias raciais é rarefeita pelas categorias “educação” e “cultura”. Após a discussão dessas ideologias, concluo que os mecanismos metapragmáticos que as constituem e fazem funcionar podem ser as condições contraditórias de seu enfretamento.

Publicado
Jan 2, 2018
Como Citar
PINTO, Joana Plaza. IDEOLOGIAS LINGUÍSTICAS E A INSTITUIÇÃO DE HIERARQUIAS RACIAIS. Revista da Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as (ABPN), [S.l.], v. 10, p. 704-720, jan. 2018. ISSN 2177-2770. Disponível em: <http://www.abpnrevista.org.br/revista/index.php/revistaabpn1/article/view/561>. Acesso em: 23 fev. 2018.