ARQUITETURA ESCOLAR E DESIGUALDADE ÉTNICO-RACIAL (RELATO DE EXPERIÊNCIA)

Main Article Content

Rachel de Oliveira

Resumo

Apresentamos neste artigo relatos de experiências que retratam as condições dos espaços físicos das escolas de Educação Infantil do município de Ilhéus, na Bahia. Nosso principal objetivo tem sido analisar se tais recintos atendem as orientações contidas nos Parâmetros Básicos de Infra-estrutura para as Instituições de Educação Infantil e nos Parâmetros Nacionais de Qualidade para a Educação Infantil, ambos publicados em 2006. No desenvolvimento desse processo, utilizamos os fundamentos da pesquisa-intervenção, uma metodologia que analisa e questiona as relações de poder institucionais. Nessa perspectiva, discutimos a possibilidade de existirem conexões entre arquitetura escolar, condição social dos usuários e a variável cor/etnia. Os resultados indicam que as escolas, notadamente as construídas nas periferias da cidade, estão historicamente alicerçadas no contínuo processo de preservação das desigualdades étnico-raciais e educacionais.

Article Details

Como Citar
OLIVEIRA, Rachel de. ARQUITETURA ESCOLAR E DESIGUALDADE ÉTNICO-RACIAL (RELATO DE EXPERIÊNCIA). Revista da Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as (ABPN), [S.l.], v. 11, n. Ed. Especi, p. 101-125, maio 2019. ISSN 2177-2770. Disponível em: <http://www.abpnrevista.org.br/revista/index.php/revistaabpn1/article/view/685>. Acesso em: 19 maio 2019.
Seção
Caderno Temático