REGGAE, CULTURA E IDENTIDADE NO MARANHÃO

Main Article Content

Carlos Benedito Rodrigues da Silva

Resumo

A concepção sobre identidade cultural no Maranhão, foi construída em torno de uma forte tradição de ritmos, cantos e danças, que se manifestam em um amplo calendário de festas populares especialmente no período junino e no carnaval. A partir dos anos setenta do século XX, alguns segmentos da população maranhense, começaram a tomar contato com o ritmo reggae jamaicano, que passou a ser definido como um dos mais importantes instrumentos de lazer para segmentos da população negra e mestiça da periferia de São Luís. Ao longo das últimas décadas, o ritmo se espalhou para outros setores da Ilha, provocando reações de rejeição e aceitação entre grupos diferenciados, estimulando debates sobre as questões de cultura e identidade, especialmente entre intelectuais ligados aos grupos da cultura popular local. Nossa investigação foi sobre as ressignificações que este elemento sofreu desde a sua dispersão pela Ilha, adquirindo entre os seus seguidores, uma linguagem própria expressa através de danças e outros códigos de comunicação.

Article Details

Como Citar
SILVA, Carlos Benedito Rodrigues da. REGGAE, CULTURA E IDENTIDADE NO MARANHÃO. Revista da Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as (ABPN), [S.l.], v. 11, n. Ed. Especi, p. 126-140, maio 2019. ISSN 2177-2770. Disponível em: <http://www.abpnrevista.org.br/revista/index.php/revistaabpn1/article/view/686>. Acesso em: 19 jul. 2019.
Seção
Caderno Temático