POLÍTICAS AFIRMATIVAS EM CURSO NA UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS E A IMPLANTAÇÃO DA COMISSÃO GERAL DE HETEROIDENTIFICAÇÃO

Main Article Content

Eugenia Portela de Siqueira Marques Aline dos Anjos Rosa Fabiana Corrêa Garcia Pereira de Oliveira

Resumo

O texto trata sobre os procedimentos adotados pela Comissão de Heteroidentificação da Universidade Federal da Grande Dourados – UFGD, no contexto da implementação das políticas afirmativas voltadas para a inserção de negros nos cursos de graduação por meio das reserva de cotas raciais. Desde a implementação da Lei 12.711/2012, no ano de 2013, o processo seletivo vestibular da UFGD passou a adotar a reserva de vagas com recorte racial para pretos, pardos e indígenas. Primeiramente, foram reservadas 25% das vagas ofertadas, e no ano de 2014 foi adotado o percentual de 50%, conforme previsto na legislação. A atuação da comissão de heteroidentificação possui um caráter pedagógico e político e se constitui no mecanismo viável para garantir o direito a quem a lei visa alcançar

Article Details

Como Citar
MARQUES, Eugenia Portela de Siqueira; ROSA, Aline dos Anjos; OLIVEIRA, Fabiana Corrêa Garcia Pereira de. POLÍTICAS AFIRMATIVAS EM CURSO NA UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS E A IMPLANTAÇÃO DA COMISSÃO GERAL DE HETEROIDENTIFICAÇÃO. Revista da Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as (ABPN), [S.l.], v. 11, n. 29, p. 57-77, ago. 2019. ISSN 2177-2770. Disponível em: <http://www.abpnrevista.org.br/revista/index.php/revistaabpn1/article/view/751>. Acesso em: 19 set. 2019.
Seção
Dossiê Temático