COMO MATAR LENTAMENTE A SI MESMO E CONTINUAR VIVENDO?

Main Article Content

Alan Augusto Moraes Ribeiro

Resumo

Neste ensaio, apresento uma reflexão sobre como homens negros inscrevem de modo complexo suas maneiras de expressãod e sentimentos e afetos. Discuto a noção de solidão atreladada aos debates sobre relacionamentos afetivo-sexuais e sugiro uma ampliação de seu uso para outras modalidades de interação. Discorro sobre maneiras de pensar narrativas sobre si de homens negros fora da dicotomia poder e não-poder e indico uma maneira de falar sobre a solidão como um elemento constitutivo das relações. Discuto o uso do termo solidão como sinônimo de isolamento social e estipulo, a partir de uma imagem religiosa, um lugar para pensar como devemos resistir aos mecanismos de isolamento social e afetivo vividos em contextos de crise de relacionamentos, seja afetivo-sexuais, seja polítco-sociais da esferea pública.

Article Details

Como Citar
RIBEIRO, Alan Augusto Moraes. COMO MATAR LENTAMENTE A SI MESMO E CONTINUAR VIVENDO?. Revista da Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as (ABPN), [S.l.], v. 11, n. 30, nov. 2019. ISSN 2177-2770. Disponível em: <http://www.abpnrevista.org.br/revista/index.php/revistaabpn1/article/view/788>. Acesso em: 12 dez. 2019.
Seção
Ensaios