Política de Submissão

Submissões Online

Já possui um login/senha de acesso à Revista da ABPN (Associação Brasileira de Pesquisadores(as) Negros (as)):

ACESSO

Não tem login/senha?

ACESSE A PÁGINA DE CADASTRO

O cadastro no sistema e posterior acesso, por meio de login e senha, são obrigatórios para a submissão de trabalhos, bem como para acompanhar o processo editorial em curso.

Diretrizes para Autores

A Revista da ABPN prioriza a divulgação de trabalhos originais, inéditos resultantes de pesquisa empírica de caráter acadêmico-científico, envolvendo reflexões acerca dos interesses da população negra sobre os diferentes níveis de escolarização e que apresentem contribuição para uma Educação Antirracista.

Para a conceituação, utilizam-se os critérios LILACs:

http://metodologia.lilacs.bvsalud.org/php/level.php? lang=pt&component=74&item=21

Os artigos submetidos à publicação devem ser inéditos e não podem estar em processo de análise em outro periódico. Eles podem ter-se originado de trabalhos acadêmicos e trabalhos apresentados em congressos científicos, mas o texto nunca ser totalmente igual a esses. No caso de trabalhos apresentados em congressos, é preciso que o texto submetido seja uma expansão do trabalho inicial. Qualquer submissão identificada como publicada anteriormente em outro meio ou cujo texto corresponder ao de trabalho apresentado em congresso científico – isto é, que possa ser caracterizada como autoplágio – não será encaminhada para avaliação.

Os manuscritos devem ser inéditos, ou seja, não podem ter sido publicados anteriormente com atribuição de DOI (Document Object Identifier), ISSN (International Standard Serial Number; sigla em inglês para Número Internacional Normalizado para Publicações Seriadas) ou ISBN (International Standard Book Number).

Acesse o fluxograma do processo editorial da Revista da ABPN.

Recomendamos que no caso de o artigo ser resultado de estudos de experimentação que envolva humanos, deve-se apresentar parecer do Comitê de Ética reconhecido pelo Conselho Nacional de Saúde (CNS) por meio da Plataforma Brasil.

A REVISTA DA ABPN adota licenciamento aberto com licença Creative Commons do tipo CC-BY 4.0, por isso não há custos para submissão e publicação dos artigos.

A REVISTA DA ABPN publica, sobretudo, artigos em língua portuguesa. Manuscritos submetidos em espanhol, francês e inglês também serão publicados, sem tradução para o português. Os autores são responsáveis pela originalidade e a veracidade do conteúdo apresentado nos trabalhos, bem como pela revisão linguística, que deve ser feita antes da submissão do manuscrito.

Os autores são responsáveis pela originalidade e a veracidade do conteúdo apresentado nos trabalhos. A revisão linguística e bibliográfica deverá ser feita antes da submissão do manuscrito. Os autores devem indicar se a pesquisa é financiada e se há conflitos de interesses.

É vetada a inclusão de novos autores após a aprovação do artigo. No ato da submissão, todos os autores deverão ser indicados.

Será respeitado o intervalo de pelo menos seis meses para a publicação de artigos de um mesmo autor.

A revista permite-se realizar, durante o processo de revisão, pequenas alterações formais no texto, respeitando o estilo e a opinião dos autores.

A partir de agosto de 2020, no processo de submissão será necessário indicar o número ORCID de cada um dos autores. Acesse um tutorial para cadastro no ORCID.

Obs.: Este campo ainda não tem seu preenchimento como item obrigatório.

Da formatação: os textos deverão ser submetidos de acordo com as seguintes normas:

  1. Para publicar na Revista da ABPN é desejável que o/a autor/a, ou ao menos um/a autor/a no caso de coautoria, esteja filiado a Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as. Ainda não é um/a associado/a? Filie-se aqui https://www.abpn.org.br/filiacao-1
  2. Digitados eletronicamente em Word para Windows, OpenOffice ou RTF, no formato A4, fonte Times New Roman, corpo 12, espaço entrelinhas de 1,5 e justificado. Os artigos originais ou de revisão e os relatos de experiências devem respeitar os limites de 15 a 25 páginas, contando com as referências bibliográficas. Resenhas, entrevistas e Ensaios devem obedecer ao limite de cinco páginas.
  3. As resenhas de livros, teses, filmes, produtos de hipermídia, etc. deverão possuir título próprio, diferenciandos do título da obra resenhada. A indicação da obra deve ser feita abaixo do título da resenha.
  4. Não deve ser colocado nenhum dado relativo à autoria no documento (nome, titulação e e-mail). Como a Revista da ABPN adota o sistema duplo cego de avaliação, é necessário que não haja identificação de autoria no corpo do texto ou em notas de rodapé, nem nas propriedades do arquivo em PDF. Essas informações constam no Cadastro no Sistema da Revista e serão acrescentadas, após a aprovação do texto, pelos editores. Ressalta-se a importância de preencher corretamente o cadastro com as seguintes informações: nome completo; vínculo institucional ou última ocupação profissional; cidade, estado e país da instituição; titulação mais alta (graduado, especialista, mestre/mestrando, doutor/doutorando), endereço, telefone, celular, e-mail de contato.
  5. Título: centralizado, em negrito, com inicial maiúsculo, fonte Times New Roman tamanho 14
  6. Resumo: Resumo com abstract, resumé e resumen de até 10 linhas, com ate cinco palavras-chave, keywords, mots-clés e palabras-clave. Fonte Times New Roman 11, com espaçamento entre linhas simples, com o alinhamento justificado e em bloco. O título, o resumo e suas palavras-chave OBRIGATORIAMENTE devem conter três traduções: Abstract em inglês, Résumé em francês, Resumen em espanhol.
  7. O texto deve fazer referëncia de ao menos uma citação de um manuscrito publicado pela Revista da ABPN.
  8. Os textos podem conter ilustrações, gráficos, tabelas e quadros, sendo indispensável sua numeração e igualmente mencionar na legenda o título e as fontes utilizadas. Imagens (fotos ou figuras) devem ter resolução mínima de 300 dpi, em formato JPG, JPEG ou PNG. Esses elementos devem ser inseridos no corpo do texto, cuja legenda deve ser indicada na parte superior com numeração (Times New Roman, tamanho 12, negrito) e sua fonte na parte inferior (Times New Roman, tamanho 10), com espaçamento simples.
  9. As notas deverão conter somente comentários necessários no desenvolvimento dos conceitos dos textos e não para citações bibliográficas. Devem vir em rodapé, com todas as referências às fontes de praxe. Os indicadores de nota de rodapé devem ser colocados depois da pontuação. Ex.: Brincadeira ou não, o certo é que as autoridades provinciais pediram a expulsão deste haitiano do Brasil.
  10. As citações de trechos de obras e documentos devem seguir estes padrões: até três linhas devem ser incorporadas ao texto entre aspas. A partir de quatro linhas, devem vir separadas do texto principal, digitadas em corpo 11, com recuo em relação à margem esquerda de 2,5 cm, sem aspas no começo e no fim. Em ambos os casos não se deve usar itálico.
  11. Todas as citações devem estar acompanhadas de suas referências bibliográficas entre parênteses, com o sobrenome do(a) autor(a), ano e páginas da publicação. Exemplo (Walker, 2001, p. 196).
  12. As Referências Bibliográficas deverão ser colocadas ao final do artigo em corpo 11, espaçamento simples, de acordo com as seguintes normas:

    Fontes: indicar, com precisão, sua origem em documentos escritos, orais, iconográficos e outros. Fontes devem indicar na ordem, a instituição, o fundo, o documento e data em formato dd/mm/aaaa (este formato é válido para todas as indicações de datas).

    Artigo em revista: Exemplo: ARAÚJO, Emanoel. Negras Memórias: o imaginário luso-afro-brasileiro e a herança da escravidão. Estudos Avançados, v. 18, n. 50, 2004, p. 242-250.

    Capítulo em livro coletivo: Exemplo: CUNHA, Olívia Maria Gomes. Criadas para servir: domesticidade, intimidade e retribuição. In: CUNHA, Olívia Maria Gomes e GOMES, Flávio dos Santos. Quase-cidadão: histórias e antropologias da pós-emancipação no Brasil. Rio de Janeiro: FGV, 2007.

    Livro: Exemplo: SOUZA, Florentina da Silva. Afro-descendência em Cadernos Negros e Jornal do MNU. São Paulo: Autêntica: 2005.

    Tese ou dissertação: Exemplo: REIS, Isabel Cristina Ferreira dos. A família negra no tempo da escravidão: Bahia, 1850-1888. Tese (Doutorado em História), Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 2007.

    Site: Exemplo: TRINDADE, Raquel. Solano Trintade, meu pai. Disponível em: www.quilombhoje.com.br/artigos/artigos.php. Acessado em: 15 de dezembro de 2009.

    Trabalhos publicados em atas de congressos, simpósios, etc.: RODRIGUES, M. V. Uma investigação na qualidade de vida no trabalho. In: ENCONTRO ANUAL DA ANPAD, 13., 1989, Belo Horizonte. Anais […]. Belo Horizonte: ANPAD, 1989. p. 455- 468

    Legislação: BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil. Organizado por Cláudio Brandão de Oliveira. Rio de Janeiro: Roma Victor, 2002. 320 p.

    Não serão considerados textos remetidos fora destes padrões.

Condições para submissão

Como parte do processo de submissão, os autores são obrigados a verificar a conformidade da submissão em relação a todos os oito itens listados a seguir. As submissões que não estiverem de acordo com as normas serão devolvidas aos/as autores/as.

  • O arquivo da submissão está em formato Microsoft Word, OpenOffice ou RTF.
  • A contribuição é original e inédita, e não está sendo avaliada para publicação por outra revista; caso contrário, deve-se justificar em "Comentários ao editor".
  • Não há nenhum dado relativo à autoria no documento.
  • O texto segue os padrões de estilo e requisitos bibliográficos descritos em Diretrizes para Autores, na página.
  • O título, resumo e palavras-chave contém as três traduções: Abstract em inglês, Résumé em francês, Resumen em espanhol.
  • O texto fez referência de ao menos uma citação de um manuscrito publicado pela Revista da ABPN.
  • O autor responsável pela submissão representa todos os autores do trabalho e, ao enviar o artigo para a revista, está garantindo que tem a permissão de todos para fazê- lo. Da mesma forma, assegura que o artigo não viola direitos autorais e que não há plágio no trabalho.
  • O texto segue a norma padrão da língua portuguesa e foi submtido à revisão linguística.

Declaração e Direito Autoral

  1. Autores mantém os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a Creative Commons Attribution License CC-BY 4.0 que permitindo o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria do trabalho e publicação inicial nesta revista.
  2. Autores têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não-exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista (ex.: publicar em repositório institucional ou como capítulo de livro), com reconhecimento de autoria e publicação inicial nesta revista.
  3. Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal) a qualquer ponto antes ou durante o processo editorial, já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado (Veja O Efeito do Acesso Livre).

Política de Privacidade

Os nomes e endereços informados nesta revista serão usados exclusivamente para os serviços prestados por esta publicação, não sendo disponibilizados para outras finalidades ou a terceiros.

Diretrizes sobre conflito de interesses

A REVISTA DA ABPN, visando garantir a sua confiabilidade para editores, autores, avaliadores e leitores, adota um Código de Boas Práticas. O código tem por base o Manual de Boas Práticas da ANPAD (ANPAD, 2017), o Principais Prática do Committee on Publication Ethics (COPE).

Normas de Éticas e Más Condutas

A Revista da ABPN segue um código de ética que orienta a comunidade e que trata dos direitos e das obrigações dos membros entre si e com o público. Tal código busca maximizar os benefícios produzidos por este periódico para a melhoria da sociedade e para a profissão do professor de todos os envolvidos, limitando as ações que podem servir os próprios interesses estreitos de alguns indivíduos.

As orientações a seguir visam esclarecer sobre um conjunto de diretrizes éticas para editores, autores e revisores de manuscritos da Revista da ABPN.

Este material foi compilado a partir das Diretrizes Éticas para Publicação da American Chemical Society, do Código de Boas Práticas Científicas da Fapesp e pela publicação de Antonio Marques da Rosa e Júlio Chachamovich em O que faz a excelência de uma Revista Científica R. Psiquiatr. RS, 25'(2): 253-256, mai./ago. 2003 disponível em http://www.scielo.br/pdf/rprs/v25n2/v25n2a02.pdf

Normas de conduta sobre plágios e falsificação de dados

  1. Em caso de identificação de plágio, fabricação, falsificação, republicação indevida e submissão simultânea, os autores autorizam a ABPN tornar público o evento, informando a ocorrência aos editores das revistas envolvidas e aos eventuais autores plagiados.

    • Plágio, definido como "a apropriação de ideias, processos, resultados ou palavras de outra pessoa, sem o devido crédito (Roig, 2006)", não é aceito na Revista da ABPN. Consideramos plágio a cópia de textos ou frases, palavra por palavra (ou muito similar), de qualquer outro autor. O autoplágio, isto é, a replicação de textos ou dados a partir de trabalhos anteriores dos próprios autores, com ou sem a devida citação, é igualmente inaceitável. A repetição razoável de algumas ideias e reordenação de uma ou duas frases pelos próprios autores é aceitável. A replicação palavra por palavra de dados ou frases deve vir entre aspas e com o devido crédito. É igualmente inaceitável a sugestão de uma novidade quando a metodologia ou os resultados já foram publicados pelo autor ou por qualquer outro autor (Roig, M. Avoiding plagiarism, self-plagiarism, and other questionable writing practices: A guide to ethical writing. 2006. Disponível em: http://ori.hhs.gov/sites/default/files/plagiarism.pdf).

  2. A fabricação de dados, ou a “afirmação de que foram obtidos ou conduzidos dados, procedimentos ou resultados que realmente não o foram” e a falsificação, ou “Apresentação de dados, procedimentos ou resultados de pesquisa de maneira relevantemente modificada, imprecisa ou incompleta, a ponto de poder interferir na avaliação do peso científico que realmente conferem às conclusões que deles se extraem” (FAPESP – Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo. Código de Boas Práticas Científicas. São Paulo: FAPESP, 2012), por parte dos autores, são práticas inaceitáveis nas publicações da Revista da ABPN.

Orientações Éticas

I. AUTORES Descrição clara e concisa de sua contribuição e de sua importância. Detalhamento da pesquisa, para permitir a repetição por outros cientistas. Créditos a trabalhos anteriores. Citar fontes da atual pesquisa. Evitar publicação e submissão múltipla. Co-autoria: todos os autores devem estar de acordo. É responsabilidade do autor principal: incluir todos que participaram e excluir os que não participaram; estabelecer a comunicação entre editor e demais autores. Quem envia um artigo está fazendo um contrato com aquela revista e aceita as regras impostas.

II. PARECERISTAS Fornecer avaliação objetiva e confidencial. O parecerista fica desobrigado nas seguintes situações: conflito de interesse (pessoal, profissional, econômico); pouca familiaridade com o assunto; já avaliou aquele texto para outra revista. Confidencialidade: não revelar o conteúdo nem se identificar como parecerista a qualquer pessoa, inclusive os autores, sem a permissão do editor. Exceção: ao pedir cooperação de colega, que estará sujeito às mesmas regras de sigilo. Não deve copiar material do texto. Documentação: fornecer avaliação por escrito. Tem a obrigação de apontar falhas na menção a trabalhos relevantes ou de outros autores, bem como assinalar as insuficiências científicas do trabalho.

III. CORPO EDITORIAL Garantir a integridade da Revista científica. Tomar a decisão de aceitar ou recusar baseado em critérios científicos. Razões de recusa: falta de originalidade; não confiabilidade científica; ausência de contribuição significativa; falta de clareza ou apresentação inadequada do material. Sigilo e imparcialidade. Autoridade do editor: cabe a ele a decisão final sobre o que é publicado na revista científica e deve exercer esse poder de forma judiciosa.

É considerada conduta antiética dos autores: apresentar dados ou fatos inexistentes, documentos forjados, dados distorcidos deliberadamente e idéias ou textos de outros sem autoria; omitir autor que participou do artigo; incluir autor que não participou do artigo; falsificar status da publicação. É considerada conduta antiética dos pareceristas: falsificar ou emitir parecer mentiroso; retardar o parecer; roubar idéias ou texto do manuscrito. É considerada conduta antiética dos editores: forjar parecer; mentir para o autor sobre o processo de avaliação; roubar idéias ou texto do manuscrito.