AS NOÇÕES DE ESPAÇO E TEMPO A PARTIR DE UMA CARTOGRAFIA QUILOMBOLA

Main Article Content

Lourdes Carril

Resumo

O trabalho com as noções de tempo e espaço na sala de aulas das séries iniciais, do Ensino fundamental, é parte das Diretrizes Curriculares Nacionais[i], com reformulações na BNCC[ii], esta que deve ser analisada criticamente dada a importância para o desenvolvimento das relações espaciais nessa etapa de formação. Temos nos deparado com desafios que perpassam diversos fatores envolvidos para que esse processo se estabeleça de maneira a que os estudantes compreendam, tanto o papel da história e da geografia na escola, quanto apreendam o sentido da espacialidade e da alteridade na vida social. As várias ideologias, representações e ilusões que incidem na sociedade contemporânea e, portanto, na escola, acabam por reforçar o sentido do espaço social na perspectiva alienante. Lefebvre (2000, p. XXII) questiona: “Haveria uma relação direta, imediata e mediatamente apreendida, portanto, transparente, entre o modo de produção (a sociedade considerada) e seu espaço?” Perguntamos: como se ensina a geografia na sala de aula das séries iniciais? De que maneira a ênfase dada, atualmente, à escrita e à leitura no Ensino Fundamental, se constituindo como aprendizado separado do tempo e do espaço, pode ser reformulada sob outra prática pedagógica, que traga a questão da Cultura Afrobrasileira nessa etapa da educação?


 


[i]    BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Parâmetros Curriculares Nacionais: história, geografia/ Secretaria de Educação Fundamental. – Brasília: MEC/SEF, 1997.


 


Ii BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Base Nacional Comum Curricular. Brasília/MEC/UNDIME, 2018.


 

Article Details

Como Citar
CARRIL, Lourdes. AS NOÇÕES DE ESPAÇO E TEMPO A PARTIR DE UMA CARTOGRAFIA QUILOMBOLA. Revista da Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as (ABPN), [S.l.], v. 12, n. 34, p. 337-357, nov. 2020. ISSN 2177-2770. Disponível em: <https://www.abpnrevista.org.br/index.php/site/article/view/1141>. Acesso em: 26 out. 2021.
Seção
Dossiê Temático