AS NARRATIVAS DE MULHERES NEGRAS SOBRE ADOECIMENTO APÓS O PROCESSO MIGRATÓRIO: A EXPERIÊNCIA DE MORADORAS DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO

Main Article Content

Maria Cecilia Leite de Moraes Maria Natália Pereira Ramos Climene Laura de Camargo

Resumo

Resumo: A genderização ampliou os estudos sobre os deslocamentos humanos. A mulher negra participa do processo, saindo de países com graves problemas sociais e, se incorporando a novas comunidades. O objetivo do estudo foi conhecer a existência de adoecimentos pós migratórios, a partir de 33 mulheres do grupo. Foi desenvolvida uma pesquisa quali-quantitativa, transversal, realizada entre outubro de 2017 e agosto de 2018, na cidade de São Paulo- Brasil. Os dados foram obtidos por meio de instrumental constituído por um questionário semiestruturado e uma entrevista. Os dados foram analisados por meio da técnica do Discurso do Sujeito Coletivo. Os relatos destacaram que 51,2% das mulheres não adoeceram, e 45,4% adoeceram sendo que 27,2% declararam problemas emocionais. Constata-se a necessidade de padrões para acolhimento e, concepção de políticas à saúde e inclusão do grupo.

Article Details

Como Citar
MORAES, Maria Cecilia Leite de; RAMOS, Maria Natália Pereira; CAMARGO, Climene Laura de. AS NARRATIVAS DE MULHERES NEGRAS SOBRE ADOECIMENTO APÓS O PROCESSO MIGRATÓRIO: A EXPERIÊNCIA DE MORADORAS DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO. Revista da Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as (ABPN), [S.l.], v. 12, n. 34, p. 802-815, nov. 2020. ISSN 2177-2770. Disponível em: <https://www.abpnrevista.org.br/index.php/site/article/view/885>. Acesso em: 27 out. 2021.
Seção
Artigos